AddThis Social Bookmark Button

Saúde

Mitos e verdades sobre o inverno: entenda como a estação afeta seu corpo

AddThis Social Bookmark Button

Sentimos mais sono quando está frio? Por que se come mais no inverno? Mulher é mais friorenta que homem? As dores pioram? O cabelo cai mais?

Não é raro que o inverno seja associado a mudanças negativas no corpo e que os benefícios e vantagens das temperaturas mais amenas sejam esquecidos ou ignorados. Se, por um lado, é natural sentir mais fome nos dias frios, por outro, o corpo apresenta espontaneamente um maior gasto energético, o que acaba levando muitas pessoas a adotarem hábitos equivocados. Com as temperaturas mais baixas, a tendência é querer 'esquentar' o corpo com alimentos com alto teor de açúcar e gordura. Mas, é preciso cuidado porque costuma-se praticar menos exercícios físicos, e é possível que se ganhe quilos a mais na balança.

Quem também pode sofrer com o frio é a pele. O nosso corpo tem em torno de 36ºC e, quando a temperatura do lado de fora começa a cair, ele perde calor na forma de vapor d'água, ficando cada vez mais desidratado e perdendo alguns sais minerais e nutrientes importantes. A pele, então, acaba ficando fragilizada, ressecada e começam a aparecer as dermatites, que são os processos inflamatórios.

Para manter o corpo e a saúde em dia neste inverno, confira uma lista de mitos e verdades da estação:

1-Se exercitar no inverno ajuda a emagrecer?

Verdade.  É normal bater aquela preguiça só de pensar em sair da cama nos dias mais frios, mas para quem quer emagrecer, essa pode ser a época ideal para dar início ao projeto verão. Isso porque no inverno o metabolismo do corpo acelera, pela necessidade de produzir mais calor, ativando mecanismos naturais que promovem a queima de gorduras. Para impulsionar ainda mais essa tendência do corpo a gastar calorias, vale manter a rotina de exercícios sempre em dia.

2-É comum sentir mais fome nos dias frios?

Verdade. Você certamente já se perguntou por que a gula parece vir com tudo no inverno. Pois a explicação não é apenas o fato de que ficar mais tempo em casa, debaixo das cobertas e diante da televisão desperta aquela vontade de atacar a geladeira. Durante o inverno há um aumento no consumo energético, pois a temperatura ambiente, geralmente, é menor do que a temperatura corporal. Nosso corpo trabalha mais para se aquecer, gasta mais energia, por isso precisamos de maior quantidade de nutrientes para a reposição.

E a questão não é apenas comer mais. No inverno, sentimos o impulso de consumir alimentos mais calóricos e pesados, principalmente, ricos em carboidratos, que constituem uma importante e rápida fonte de energia. Como explica a nutricionista, o sinal da fome transmitido pelo organismo é resultado da ação de fatores neuronais, endócrinos, adipocitários e intestinais.

Leia mais...

7 erros que você comete ao praticar alguma atividade física e que prejudicam o corpo

AddThis Social Bookmark Button

Os erros antes, durante e após a prática de atividade física são mais comuns do que se imagina. Não se alimentar adequadamente antes da atividade física e malhar com maquiagem estão na lista de erros que muitas pessoas cometem. Contudo, é preciso também ficar de olho nos maus hábitos depois da atividade física, quando os músculos estão em recuperação.

É cada vez maior o número de pessoas que querem fazer alguma atividade física, entretanto, muitos não estão preparados física e nutricionalmente, cometendo alguns erros, diminuindo a performance e oferecendo riscos à saúde.

1- Esquecer-se do relaxamento

Depois que o treino acaba é preciso fazer algum exercício mais calmo para que a frequência cardíaca e a circulação sanguínea diminuam aos poucos. A dica para relaxar o corpo antes de ir embora é fazer exercícios leves, como alongar-se. Muitas pessoas esquecem o alongamento muscular, muito importante para o relaxamento, prevenção de lesões e para manter a postura adequada. Alongue-se sempre antes e depois do treino.

2- Não comer

Estando mal alimentado, o atleta pode sentir fraquezas, tonturas e falta de energia, afetando não só o desempenho como também  a saúde no geral. Para garantir o bem-estar e obter os melhores resultados, é preciso se alimentar adequadamente antes e depois da atividade física. Ficar em jejum no momento em que os músculos estão se recuperando está na lista de erros. Treinar em jejum faz com que o corpo queime massa magra em vez de gorduras. Por outro lado, se exercitar de estômago cheio pode levar a enjôo, náuseas e mal-estar, além de atrapalhar bastante tanto a digestão quanto a prática dos exercícios. Espere pelo menos 2h depois de comer uma refeição completa para começar o treino.

Leia mais...

Desvio de Septo

AddThis Social Bookmark Button

Septo nasal é uma parede constituída por osso, cartilagem e mucosas que separa uma narina da outra. O esperado seria que essa separação resultasse em duas fossas nasais idênticas, o que raramente acontece.

Fala-se que o septo está desviado se ele tem um formato anormal,se localizando fora da linha medial do rosto. Em alguns casos, isso pode causar dificuldades respiratórias e em geral favorece o aparecimento de patologias nasais, sobretudo inflamatórias ou infecciosas.

O desvio de septo pode ser um distúrbio congênito ou manifestar-se na infância, durante o desenvolvimento dos ossos da face. Ou, então, resultar de processos inflamatórios, infecciosos ou alérgicos crônicos ou cirurgia. Pode, ainda, ser provocado por traumatismos. A pessoa fere o nariz numa queda, num acidente automobilístico ou ao praticar esportes, por exemplo.

Desvios de septo só representam problema, quando a alteração impede o nariz de realizar suas funções no sistema respiratório. No entanto, rinites, pólipos e cornetos nasais (estruturas situadas na lateral das narinas, com a função de aquecer e umidificar o ar) aumentados podem ser também responsáveis pela dificuldade para respirar.

Cerca de 80% das pessoas tem um pequeno desvio natural, quase imperceptível, podendo ser assintomático ou provocar graus variados de obstrução nasal e, como consequência, retenção de secreções, rinossinusite crônica e sangramentos nasais. Respiração pela boca, dificuldade para dormir, apneia do sono, roncos, cansaço, dores de cabeça e na face são outros sintomas que podem estar associados ao desvio do septo.

Leia mais...

Plataforma Vibratória e seus cuidados

AddThis Social Bookmark Button

O conceito científico de plataforma vibratória foi desenvolvido há cerca de 30 anos, na antiga União Soviética (atual Rússia, Ucrânia e outros países), para combater a perda óssea ocorrida durante a permanência dos astronautas no espaço.

Muitos canais de venda pela TV e sites da internet oferecem a plataforma vibratória como uma atividade milagreira, que se pode fazer no conforto de casa. De fato, os benefícios são muitos, entre eles o fortalecimento dos músculos, melhora no fluxo sanguíneo e linfático, redução na retenção de líquidos, melhora da aparência da pele, dentre outros.

Mas para que haja benefícios é necessário realizar as posturas corretamente. Para ser eficaz, é necessário uma posição diferente para acionar aquele grupo muscular específico a ser trabalhado.

Quando se faz sem orientação, pode-se fazer errado e causar lesões nos músculos, tendões e até mesmo deslocar vísceras.

Além das posições corretas, o tempo que se fica em cima do aparelho também merece atenção.O correto é ficar no máximo 30 minutos no aparelho em 3 vezes por semana.

Apesar da facilidade com que encontramos esses aparelhos, só um profissional de saúde habilitado pode criar um programa de exercícios e determinar a intensidade de vibração apropriada ao objetivo de cada paciente.

Além de todos esses cuidados o uso da Plataforma Vibratória tem contra-indicações, as quais o profissional deve estar atento, pois este equipamento não deve ser utilizado por pessoas que por sua condição física estejam inaptas para o exercício físico

Leia mais...

Diferença entre Gripe Comum, Influenza A e Dengue

AddThis Social Bookmark Button

Mais Artigos...